Assembléia do RJ dá parecer favorável à libertação de Lins

Comissão de Constituição e Justiça deve votar nesta tarde decreto determinando a soltura do parlamentar

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

30 de maio de 2008 | 11h55

O deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), corregedor da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), anunciou nesta sexta-feira, 30, após a reunião da mesa-diretora da casa, que o parecer da procuradoria da Alerj foi contrário à prisão do deputado estadual e ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins (PMDB), por entender que a prisão em flagrante não respeitou os preceitos constitucionais.   Veja também: Entenda a Operação Segurança Pública, que envolve Garotinho PF cumpre mandado de busca na casa do ex-governador PF prende ex-chefe de polícia do RJ; MP denuncia Garotinho   O caso será remetido ainda nesta sexta para a Comissão de Constituição e Justiça, que deve encaminhar uma votação à tarde, em plenário, pela aprovação de um decreto determinando a libertação imediata do parlamentar. "Esta casa tem que defender a constituição, e não um parlamentar. Houve um entendimento que a carta magna não foi respeitada e o plenário decidirá sobre isso em sessão com o voto aberto", informou o deputado tucano.   O deputado foi preso em flagrante na última quinta-feira. A Polícia Federal (PF) acredita que ele esteja envolvido em lavagem de dinheiro por morar em um imóvel adquirido com verba suspeita. Lins também é acusado de corrupção passiva e facilitação ao contrabando.    A prisão faz parte da operação Segurança Pública Sociedade Anônima, que tem por objetivo desarticular uma quadrilha que atuava no âmbito da Secretaria de Segurança Pública do Rio durante a gestão de Anthony Garotinho (PMDB). O ex-governador foi acusado pelo Ministério Público pelo crime de formação de quadrilha armada e teve sua casa revistada por agentes da PF na quinta-feira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.