Assembléia do MA quer CPI

Objetivo de deputados é investigar censo em São Luís

Suzana Beckman, O Estadao de S.Paulo

20 de outubro de 2007 | 00h00

A Assembléia Legislativa do Maranhão requereu ontem a instalação de uma CPI para investigar os resultados do censo 2007 em São Luís. O documento, que contém 19 assinaturas, alega que a população da capital maranhense divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou bem abaixo das estimativas anteriores - as projeções indicavam que a cidade chegaria a 1 milhão de habitantes em 2007. Como isso não aconteceu, a receita do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em São Luís será R$ 20 milhões abaixo do esperado.Segundo as estimativas divulgadas pelo instituto no ano passado, a população da capital já teria chegado a 998 mil pessoas. No entanto, de acordo com os números do censo de 2007 divulgados pelo próprio IBGE em agosto, São Luís teria agora apenas 921,4 mil habitantes. Ao fim da recontagem, esse número aumentou para pouco mais de 957 mil pessoas.Nesse patamar, a cidade recebe apenas R$ 149 milhões do Fundo de Participação dos Municípios. Se estiver acima da marca de 1milhão de habitantes, a receita com o FPM salta para R$ 169 milhões. Além do aspecto financeiro, contudo, há a questão política - ao romper a barreira do 1 milhão de habitantes São Luís ganharia mais 12 cadeiras na Câmara Municipal.PESQUISAA motivação para a CPI foi reforçada após pesquisa realizada pela empresa Escutec. De acordo com os dados divulgados, 22% dos habitantes de São Luís não receberam em casa a visita do recenseador. Se esse total for contabilizado, a capital maranhense chegaria a 1,1 milhão de pessoas.A proposta de instalação de CPI ganhou apoio tanto de oposicionistas quanto de governistas. O líder do governo maranhense na Assembléia, Edivaldo Holanda (PTC), se disse favorável a uma ampla investigação para esclarecer as dúvidas. "Essa diferença de resultados não inspira confiança e o prejuízo para São Luís será muito grande", opinou.A Câmara Municipal também quis firmar posição. Os vereadores anunciaram para este fim de semana a elaboração de outra representação com a mesma finalidade. O superintendente do IBGE no Maranhão, Pedro Guedelha, não quis comentar o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.