Assembleia de São Paulo cancela licitação para compra de carros oficiais

Edital permitia que apenas dois modelos participassem da disputa

O Estado de S. Paulo,

05 de fevereiro de 2013 | 15h12

SÃO PAULO - A Assembleia Legislativa de São Paulo decidiu nesta terça-feira, 5, cancelar a licitação para a compra de 150 novos carros oficiais para o uso dos deputados estaduais e diretores da Casa. Conforme o Estado revelou no dia 12 de janeiro, o edital da licitação restringia a participação de concorrentes e permitia que apenas dois modelos de veículos participassem da disputa.

O processo de compra dos novos carros foi contestado pelo Ministério Público de Contas (MPC) de São Paulo. Em reunião na manhã desta terça-feira, 5, a Mesa Diretora da Assembleia decidiu cancelar a licitação. A resolução será publicada amanhã no Diário Oficial do Poder Legislativo.

Os procuradores do MPC fizeram duras críticas às exigências estabelecidas pelo edital, que eliminou oito de um total de dez veículos sedan médios que poderiam participar da disputa. "A inclusão de determinadas características no mencionado 'memorial descritivo' acabou por eliminar quase todos os veículos presentes no mercado, mitigando sobremaneira a competição no âmbito do pregão presencial", diz a representação enviada pelo MPC ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A Assembleia gastaria cerca de R$ 6,3 milhões com a renovação de sua frota. Atualmente, os deputados e diretores da Casa usam carros adquiridos em janeiro de 2011, por R$ 2,5 milhões.

A Casa ainda não decidiu se vai abrir um novo processo de licitação para comprar novos carros. A decisão deve ser tomada apenas após a eleição da próxima Mesa Diretora da Assembleia, marcada para 15 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.