Assembléia de Minas pode abrir CPI para investigar loterias

A ligação entre o bicheiro Carlos Augusto de Almeida, o Carlinhos Cachoeira, e o ex-diretor operacional da Loteria Mineira, Mário Márcio Magalhães, poderá levar à abertura de uma comissãoParlamentar de Inquérito (CPI) na Assembléia Legislativa de Minas Gerais para investigar eventuais irregularidades na autarquia durante ogoverno passado. O deputado estadual Alberto Bejani (PTB) disse que vai começar a colher as 28 assinaturas necessárias para o pedido de abertura da CPI.Magalhães reuniu a imprensa e confirmou que sua empresa, a Arsenal Assessoria e Planejamento Empresarial Ltda., se associou em junho do ano passado à Gerplan, empresa de Cachoeira, para a exploração de uma modalidade de jogo em Goiás. O ex-diretor ocupou o cargo no período em que a Jogobrás do Brasil Ltda - empresa sócia da Gerplan - explorava a modalidade ?Sorteca? emMinas. Magalhães foi um dos diretores da Loteria Mineira afastados em 2000 na esteira de denúncias de irregularidades na liberação do funcionamento de máquinas no estado. Ele também é um dos réus numa ação civil pública impetrada na época pelo Ministério Público Estadual (MPE), sob a acusação de improbidade administrativa e enriquecimentoilícito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.