Assembleia de Goiás também está prestes a instalar CPI sobre Cachoeira

Deputado Cesar Bueno conseguiu 13 das 14 assinaturas necessárias para protocolar o pedido

Agência Estado - Texto atualizado às 17h20,

12 de abril de 2012 | 16h17

SÃO PAULO - O deputado estadual Luis Cesar Bueno (PT), de Goiás, apresentou requerimento para a instalação de uma Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) na Assembleia Legislativa do Estado para investigar o suposto envolvimento de autoridades, entre elas o governador Marconi Perillo (PSDB), com a quadrilha do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Segundo o site do presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, o deputado Cesar Bueno já conseguiu 13 das 14 assinaturas necessárias para protocolar o pedido. O petista pede a investigação das ramificações da quadrilha de Cachoeira no governo estadual.

Bueno também questiona os reflexos das ações do grupo na segurança pública. Ele menciona o inquérito da Operação Monte Carlo da Polícia Federal, que aponta o envolvimento de policiais na quadrilha. "Estamos diante de um mega escândalo. As investigações da Polícia Federal indicam pelo menos 89 pessoas envolvidas, entre eles estão políticos e membros do Estado. Precisamos saber até que ponto vai isso", disse o deputado ao site de Falcão.

'Desvio de foco'.O presidente do PSDB de Goiás, Paulo de Jesus, afirmou que a insinuação de que Perillo esteja envolvido no esquema denunciado pela Operação Monte Carlo é "completamente infundada e irresponsável". Na quarta-feira, 11, Falcão disse que as investigações da CPI mista no Congresso poderiam atingir Perillo.

Para o presidente do diretório estadual tucano, a declarações de Falcão são uma tentativa "deliberada" de desviar o foco da opinião pública do julgamento do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal.

O tucano também afirma que Falcão, "cinicamente", oculta as evidências de participação do governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz, no esquema, e não menciona as evidências de envolvimento do deputado federal petista Rubens Otoni.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.