Assembléia de Deus indicará candidatos em 2002

A Convenção Nacional das Assembléias de Deus do Brasil (Conamad), que congrega pouco menos da metade dos cerca de 16 milhões de fiéis dessa confissão no País, decidiu constituir um braço político e indicar a seus seguidores, em 2002, candidatos a deputado, senador, governador e presidente. O objetivo é ampliar a representação política e a influência da corrente, elegendo no mínimo cinco deputados federais e dois senadores, e influir na eleição presidencial. Para o pleito municipal de 2004, a meta é ambiciosa: eleger em todo o País 500 vereadores e 27 prefeitos vinculados à Assembléia. Em reunião no início do mês, líderes da entidade, conhecida como Ministério de Madureira, representando as 27 Convenções regionais e cerca de 22 mil assembléias de todo o Brasil, traçaram as metas e decidiram se organizar politicamente. A entidade passa a ter um conselho político nacional e 27 conselhos regionais. Segundo o pastor Dilmo dos Santos, a idéia é que, em cada Estado, os candidatos a deputado, a senador e a governador sejam escolhidos em acordo entre os conselheiros nacionais e o respectivo conselho estadual. O postulante à Presidência será apontado nacionalmente, em janeiro de 2002. "Traçamos metas eleitorais de curto, médio e longo prazo", disse Santos, um dos 13 pastores que constituem o conselho político nacional. As Assembléias de Deus não têm um comando único no País. A Conamad representa apenas parte delas, com cerca de 7 milhões de fiéis. "Estamos sendo legislados por terceiros, que não são de nossa religião, e somos obrigados a engolir", declarou ele.Santos adiantou que pelo menos duas candidaturas a senador de religiosos diretamente ligados à Conamad deverão ser lançadas em 2002, ambas pelo PPB. Uma delas, a do presidente da entidade, bispo Manoel Ferreira, no Rio, está virtualmente decidida pela entidade. A outra é a do vice-governador do Distrito Federal, Benedito Domingos, cujo lançamento ainda vai ser decidido. Também serão lançadas as candidaturas à reeleição dos deputados federais Pastor Amarildo, de Tocantins, e Márcio Nascimento, do Rio. Não há preferência por nenhum partido específico, esclareceu o pastor. Para a eleição de 2006, a Conamad quer eleger, pelo menos, 30 deputados estaduais e 27 deputados federais. A entidade, que existe há 75 anos, vai promover um encontro no início do ano que vem, depois que o quadro político nacional estiver mais definido, para decidir quem apoiará na corrida presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.