Aspirina infantil terá alerta no rótulo

Medicamentos de uso pediátrico à base de ácido acetil salicílico, como a aspirina infantil, deverão conter alerta no rótulo sobre a necessidade de consulta ao médico antes do consumo por crianças e adolescentes gripados ou com catapora. Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União fixa prazo de 90 dias para os laboratórios atenderem à determinação. O motivo, segundo a resolução, é que o uso de medicamentos pediátricos à base de ácido acetil salicílico tem resultado em "casos raros e graves de Síndrome de Reye, quando usados por crianças com infecção viral pregressa do tipo influenza e catapora". A síndrome, de rara incidência, pode provocar hipoglicemia, dores musculares, convulsões e até matar. Os rótulos deverão conter a seguinte mensagem: "Crianças ou adolescentes não devem usar este medicamento para catapora ou sintomas gripais antes que um médico seja consultado sobre a Síndrome de Reye, uma rara, mas grave doença associada a esse medicamento." A obrigatoriedade do alerta foi recomendada pela Organização Mundial da Saúde, segundo a assessoria de Imprensa da Anvisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.