Asilado na França, irmão de Celso Daniel quer voltar

Os dois únicos brasileiros reconhecidos pelo Ofício Francês de Proteção aos Refugiados e Apátridas (OFPRA), os ex-petistas Bruno Daniel e Marilena Nakano, irmão e cunhada do ex-prefeito da cidade do ABC paulista Santo André Celso Daniel - assassinado em 20 de janeiro de 2002 -, estão querendo voltar ao Brasil. Acompanhado de seus três filhos desde março de 2006, eles se encontram instalados na França como refugiados políticos, oficialmente reconhecidos pelo Estado francês. Isso ocorre em pleno regime democrático no Brasil, tendo sido conduzidos a essa situação durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, eleito pelo PT, partido do qual eram militantes. A morte de seu irmão continua um mistério, depois de ter sido relacionada a um esquema de arrecadação de propina entre empresas de ônibus, de construção civil e de coleta de lixo de Santo André para financiar as campanhas eleitorais do partido. Bruno e Marilena não abdicam, contudo, do direito de saber toda a verdade sobre a morte de Celso Daniel e pretendem levar a apuração até o fim. Em 2006, eles foram os dois únicos casos de brasileiros que receberam o título de refugiados políticos na França. As autoridades francesas não hesitaram em atender ao pedido de asilo do casal diante do relatório que cita até ameaças de morte. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.