As mudanças não se justificavam, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que, no final de 2010, ficou sabendo, por meio de reportagem na imprensa, que o ex-presidente da Casa da Moeda, Luiz Felipe Denucci, teria tido um problema em 2001 com a Receita Federal. O ministro disse, no entanto, que isso não tinha nenhuma interferência com a função que ele desempenhava e que, portanto, "não se justificava uma mudança por causa disso".

EDUARDO CUCOLO E CÉLIA FROUFE, Agência Estado

03 de fevereiro de 2012 | 13h55

"Ele teria trazido recurso do exterior, depositado na conta, enfim... havia alguma discussão. E a Receita já tinha agido no fato, já estava atuando. Ele passou por um procedimento administrativo, recorreu ao processo e parece que recentemente foi diminuída ou eliminada a multa que ele tinha sofrido", disse Mantega.

O ministro da Fazenda também afirmou que, durante a gestão de Denucci à frente da Casa da Moeda, o PTB "voltou à carga" para substituí-lo no cargo e, para isso, fez acusações "sem fundamento". "Eu até falei: você tem algumas acusações para fazer, então faça e entre na Justiça", disse Mantega, que relatou diálogo com o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (PTB-GO).

"Você faça isso por uma via legal pois aí, sim, poderemos investigar. Caso contrário, trazer suposições, que ele tem isso, tem aquilo, isso pode ser feito contra qualquer funcionário. Quando temos uma acusação formal, podemos abrir sindicância", disse Mantega.

Tudo o que sabemos sobre:
MantegaCasa da Moeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.