Artur Virgílio diz que PSDB está no jogo

O líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio, fez um balanço positivo da participação de seu partido nas eleições municipais. Ele lembrou que o PSDB obteve 15 milhões de votos e ficou com "a jóia da coroa", que é a prefeitura da cidade de São Paulo. "Imagine o quadro se o PT tivesse vencido em Porto Alegre e São Paulo", indagou Virgílio. "Estaria hoje o Brasil sob a figura de um partido hegemônico, do pensamento único, as pessoas dando como favas contadas à reeleição do presidente Lula", sentenciou Virgílio, também entrevistado no programa Canal Livre.O líder tucano criticou a falta de reformas no atual governo, lembrando que as da Previdência e Tributária estão paradas, e comparou o desempenho do primeiro ano do governo Fernando Henrique Cardoso, quando teriam sido aprovadas cinco emendas constitucionais. "Eu queria que o governo fosse mais Lula e menos Duda", referindo-se ao publicitário Duda Mendonça, que dá assessoria ao governo federal. "Mais realização, mais aquela coisa concreta que o Lula deve achar chatíssima de governar e menos aquela coisa, que ele deve adorar, de botar o chapéu da Portela."Sem boicoteVirgílio garantiu que o PSDB vai fiscalizar o governo Lula e exigir as reformas prometidas, porém sem boicotar a atual gestão. "Presidente Lula, vamos fiscalizar o seu governo, mas não estamos soberbos com o resultado eleitoral", prometeu o líder tucano. Ele salientou que o PSDB irá apoiar as reformas, desde que elas também tenham o ponto de vista da oposição. "Vamos exigir que o senhor (Lula) mostre uma feição reformista do seu governo", continuou. "Não pense em boicote de nossa parte. Queremos ir para 2006 de forma limpa para derrotá-lo. Porque o único cargo que interessa ao PSDB é o do Lula."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.