George Gianni / PSDB
George Gianni / PSDB

Arthur Virgílio diz que vai disputar prévias com Alckmin para candidatura em março

Prefeito de Manaus afirma que combinou com governador de São Paulo consulta interna para definir candidato à Presidência, em reunião tensa na noite de sexta-feira

Pedro Venceslau, enviado especial a Brasília, Anne Warth e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2017 | 11h31

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, disse ao Estado que fechou na noite de ontem um acordo com governador Geraldo Alckmin para a realizar em março as prévias para a escolha do candidato do PSDB à Presidência da República em 2018. O acerto, segundo ele, foi feito após uma reunião tensa com a cúpula tucana no gabinete do senador Roberto Rocha (AC).

"Não vou desistir. Disse isso com clareza na reunião. Estava indo tudo bem na conversa até que chegou o senador Flexa Ribeiro (PA). Fui bastante rígido com ele, que atravessou o samba. Eu disse: 'Muito me admira que você, um senador do norte do Brasil, venha me pedir para desistir. O Pará inteiro me apoia'". 

+++ Alckmin assume PSDB e tenta se contrapor a Lula

Além de Alckmin, também participaram da reunião, que começou às 18h de ontem e entrou pela madrugada, os senadores Tasso Jereissati (CE) e Roberto Rocha (AC). O acordo, porém, foi fechado após Alckmin se reunir em outra sala apenas com Virgílio. 

"Acertamos que as prévias serão irrestritas, mas terão uma linha de corte: poderão votar que tiver pelo menos um ano de partido. Faremos 10 comícios cada um cada um nas dez maiores cidades brasileiras. Vamos expor as entranhas do partido", afirmou o prefeito de Manaus. 

+++ Goldman diz que PSDB nunca embarcou no governo Temer

Virgílio e Alckmin também combinaram de dividir de forma igualitária os recursos do Fundo Partidário para as prévias. "Combinamos que vamos trabalhar no estilo Obama X Hillary. Faremos críticas duras, mas sem ataques pessoais", disse Virgílio.    

O prefeito revelou, ainda, que, apesar do acordo, fará um discurso duro na convenção de hoje. "Vai ser um discurso duro. Vou dizer que é uma aberração não liderarmos esse processo reformista. Vou dizer também  que não concordei com a eleição dele (Alckmin) para presidente do partido." 

Alckmin diz que pretensão é legítima

Provável candidato do PSDB à Presidência da República nas eleições do ano que vem, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que a pretensão de Arthur Virgílio de ser o representante tucano na disputa é legítima. Virgílio defende a realização de prévias para a escolha do candidato do PSDB nas eleições de 2018.

“Quero falar da legitimidade de sua pré-candidatura, que honra o partido com sua história de luta. Arthur Virgílio é um dos melhores prefeitos e foi um dos melhores senadores deste País, disse Alckmin, em discurso na convenção nacional do PSDB.

Alckmin disse estar honrado para presidir o PSDB e disse que o trabalho iniciado pelo partido durante a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso são uma “obra inacabada”. “FHC mudou as bases da economia do País para sempre e é sobre elas que o partido vai trabalhar”, afirmou. “Temos compromisso com as reformas e princípios que vão dar condições para que o Brasil volte a crescer. Nós sabemos como chegar lá porque acreditamos em políticas públicas perenes, não em bravatas e marketing.”

Alckmin disse que o PSDB é um instrumento de modernização do País e de inserção do Brasil na economia internacional. “Estamos posicionados para uma agenda moderna, uma agenda do século 21”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.