Arruda reafirma que não renunciará

O senador José Roberto Arruda (sem partido-DF), ao deixar a sala de reuniões do Conselho de Ética do Senado, reiterou que não pensa em renunciar a seu mandato. "Se eu tivesse a idéia de que a culpa cometida mereceria a pena máxima, eu poderia raciocinar sobre essa hipótese." O senador insistiu, entretanto, que está "absolutamente convencido de que erros muito mais graves são cometidos, sem que tenham esse tratamento". Arruda defendeu que a infração regimental cometida por ele não pode ser comparada às atitudes tomadas pelo senador Luiz Estevão, que teve seu mandato cassado em junho do ano passado. "Esta é uma infração regimental, ninguém roubou, não tem corrupção e isso não pode ser tratado assim." O ex-líder do governo no Senado defendeu que "cada culpa tenha a sua pena". Afirmou, ainda, que está cada vez mais convencido de que "o castigo que nós estamos pagando na opinião pública é desproporcional à culpa". Em todo o caso, o senador avaliou que "as coisas agora, a cada dia, vão se esclarecendo mais e o mais importante é que eu tracei um caminho e não me afasto dele, que é falar a verdade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.