Arruda nega ter pedido violação do painel

O senador José Roberto Arruda (sem partido-DF) iniciou seu depoimento no Senado pedindo para que o Conselho de Ética considerasse como exposição inicial o seu pronunciamento feito no plenário do Senado no início desta semana, no qual confessa ter recebido e lido a lista com os votos secretos dos senadores no processo de cassação do ex-senador Luiz Estevão, mas nega ter pedido para que a ex-diretora executiva do Prodasen, Regina Borges, violasse o painel. Ele disse que pretende reafirmar sua linha de conduta, já definida de forma clara naquele pronunciamento, considerando-se dispensado de fazer "qualquer malabarismo intelectual ou de memória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.