Arruda é vaiado em reunião de governadores no Itamaraty

Solenidade é a primeira organizada pelo governo federal à qual o governador do DF comparece

Leonencio Nossa, da Agência Estado,

13 de janeiro de 2010 | 18h58

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM), acusado em inquérito do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de envolvimento em esquema de corrupção, foi vaiado na tarde desta quarta-feira, 13, durante solenidade no Palácio do Itamaraty da qual participam outros nove governadores, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. O locutor da Presidência da República estava anunciando os nomes dos governadores presentes, antes da chegada de Lula e Dilma.

 

Quando pronunciou o nome de Arruda, ouviu-se de muitas das 300 pessoas presentes uma prolongada vaia, embora não em voz alta. A plateia era formada, na maioria, por técnicos do governo federal, assessores de governadores e prefeitos e dirigentes esportivos que não são de Brasília. Ao ouvir a vaia, Arruda, tentou aparentar indiferença.

 

A solenidade no Itamaraty, ao qual acabam de chegar o presidente Lula, a ministra Dilma e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, é a primeira organizada pelo governo federal a que Arruda comparece. No palco, governadores e prefeitos conversam, em pequenos grupos, mas Arruda se mantém à parte, calado.

 

Lula deve fazer ainda nesta quarta-feira o anúncio da liberação de R$ 8 bilhões do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para obras nas 12 cidades em que haverá jogos da Copa do Mundo de Futebol, em 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.