Arruda e ACM cometeram "falta grave", diz Peres

O senador Jefferson Peres (PDT-PA) disse que o senador José Roberto Arruda (PSDB-DF) mentiu na semana passada e que, se todos que cometerem uma falta grave como esta forem absolvidos, "não existe mais Senado". "É uma falta muito grave que eles fizeram - e eu falo eles", observou o senador, referindo-se, além de Arruda, ao ex-presidente do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Peres lembrou que Arruda jurou, na semana passada, que não tinha a lista com os votos dos senadores na sessão secreta de cassação do ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF) , chamou a funcionária Regina Borges, que o acusou, de caluniadora, e "ele era puro e santo". E isso Peres considera um erro gravíssimo. "Ele tem de ser punido", insistiu o senador paraense. "Espero que o Conselho faça jus a seu nome: Conselho de Ética", disse, referindo-se ao órgão responsável pela punição dos envolvidos no episódio de violação do painel de votação eletrônica. Segundo Peres, tem que haver acareação dos envolvidos: da funcionária com o senador e entre os dois senadores. Por seu turno, o senador Amir Lando (PMDB-RO) disse que "o fato abstrato enseja a cassação", mas admitiu, também, a suspensão temporária do mandato dos senadores envolvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.