Arrozeiro diz que tiros contra índios foram revide a flechadas

Segundo o Cimi, dez índios foram feridos a tiros na reserva Raposa Serra do Sol, em Roraima

Agência Brasil

05 de maio de 2008 | 17h54

O líder dos arrozeiros de Roraima, Paulo César Quartiero, disse nesta segunda-feira, 5, em entrevista à Agência Brasil que seus funcionários dispararam tiros contra índios em defesa a uma tentativa de invasão à fazenda Depósito, de sua propriedade, que fica dentro da terra Indígena Raposa Serra do Sol. Mais cedo, o Conselho Indígena de Roraima (CIR) divulgou nota informando que dez índios da reserva teriam sido baleados por "jagunços do líder dos arrozeiros Paulo César Quartiero".   Veja também:   Saiba onde fica a reserva e entenda o conflito na região  Procuradoria rejeita ação popular contra reserva em RR Galeria de fotos da Raposa Serra do Sol 'Roraima é do Brasil graças aos índios', diz especialista   "De 50 a 100 índios invadiram a fazenda e meu pessoal foi pedir para que se retirassem. Eles chegaram atirando flechas e aí houve o confronto", alegou Quartiero. "Também estamos com seis feridos em Pacaraima (município vizinho à reserva, onde Quartiero é prefeito)", acrescentou.   O arrozeiro disse que os índios aproveitaram a desmobilização de seu grupo após a suspensão da Operação Upatakon 3, que visava retirar os não-índios da reserva. Ele afirmou que aguarda uma manifestação favorável do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a permanência dos produtores na área, mas garantiu que não aceitará agressões: "Com certeza nós vamos nos defender".   Quartiero defende que a manutenção da ordem e da paz social na reserva seja feita pelo Exército brasileiro, pois vê ressalvas no trabalho da Polícia Federal na região.   "A PF está comprometida porque é parcial e só enxerga o lado dos índios. É uma polícia política, que protege o interesse do rei", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do Sol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.