Arquivos indicam parceria entre agência e PF

Dados apreendidos detalham visitas de Protógenes à Abin no Rio

Fausto Macedo, O Estadao de S.Paulo

12 de dezembro de 2008 | 00h00

Quatro arquivos secretos da Agência Brasileira de Inteligência podem revelar os bastidores da polêmica aliança entre a Abin e a equipe do delegado Protógenes Queiroz, da Polícia Federal, no curso da Satiagraha - investigação sobre o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity.Os registros foram capturados por peritos da Polícia Federal em discos rígidos da Abin recolhidos por ordem judicial em 5 de novembro.A PF conduz inquérito sobre o furo do sigilo da Satiagraha. O alvo primeiro dessa apuração é Protógenes Queiroz.A Polícia Federal planeja indiciá-lo por crime de quebra de sigilo funcional e violação da Lei do Grampo porque deu acesso a um batalhão de arapongas da Abin - 84 agentes e oficiais -, aos autos da Satiagraha.Os arquivos sob análise de peritos foram encontrados na base de operações da Abin, no bairro do Santo Cristo, no Rio.Os especialistas da PF examinam metodicamente a CPU Compaq DX 5150 MT, patrimônio Abin 89437.Nela estão armazenados 64.217 arquivos - dos quais, 6.094 classificados como documentos e 7.007 são gráficos.Existem também 47 multimídias e, sobre elas, recai o exame "para verificação de pertinência à apuração dos fatos em questão".Nessa CPU está gravado inventário com 4 catálogos que indicam a origem e os passos da controversa articulação Abin/PF.Os apontamentos estão identificados por longa série numérica, hospedados na pasta Bookmark, intitulada Apoio Abin/Satiagraha.Um catálogo, sob a rubrica 48d028a2748d8, contém "relatório indicativo da participação da Abin na Operação Satiagraha".Outro, MI-024-20-190908, guarda memorando interno relativo às visitas de Protógenes à base de operações da Abin no Rio, com datas e horários de entrada e saída do delegado, expedientes e medidas que adotou, reuniões e contatos que fez e recebeu.Para a PF, é revelador o conteúdo do terceiro documento, MI-028-20-30092008, memorando que aponta a extensa relação de servidores da Abin engajados na Satiagraha.RESPONSABILIDADEMais vital ainda para a investigação é o quarto arquivo, 59436-0, porque identifica a cadeia de responsabilidade da cúpula da agência em investigação de competência exclusiva da PF. "Trata-se de documento interno da Abin, dirigido aos diretores e superintendentes, solicitando informações quanto à participação de servidores das respectivas localidades consultadas na Operação Satiagraha", assinala Relatório de Análise de Mídias que a PF produziu.Esse último arquivo descreve sinteticamente o tipo de atividade desenvolvida pelos arapongas e seus superiores.Os peritos da PF também abriram o disco rígido de um notebook Acer, modelo aspire 5050 Atheros AR5BMB5, apreendido na sala do chefe de operações da Abin/Rio, Vicente Ernani Filho.Os peritos mapeiam 1.682 multimídias hospedadas no notebook que são de importância crucial para o inquérito.Nelas, existem 19 endereços eletrônicos "de pessoas diversas, dentre elas servidores da Abin e Protógenes Queiroz".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.