Aristide reassume presidência do Haiti

Jean-Bertrand Aristide assumiu hoje, pela segunda vez, a presidência do Haiti, com a promessa de introduzir mudanças em um país devastado pela pobreza e dividido pelas rivalidades políticas. Ex-sacerdote católico, Aristide jurão com a mão sobre a Bíblia, em uma cerimônia no Congresso. Centenas de seus partidários ocuparam as ruas em torno do Legislativo."Plantamos a semente, é hora de colher o que semeamos. Queremos nos assegurar de que tudo que fizemos por Aristide renda frutos", disse Michel Frizner, um operário da construção. O retorno de Aristide ao poder foi festejado pela maioria dos haitianos pobres, mas não pela comunidade internacional, que duvida da imparcialidade das eleições de maio. Os poucos estrangeiros presentes à cerimônia não eram governantes e, sim, representantes diplomáticos. Os partidos opositores, que também questionam o retorno de Aristide, qualificaram o pleito de fraudulento e formaram um governo alternativo para convocar novas eleições. O Partido Família Lavalas, de Aristide, obteve mais de 80% dos assentos no Parlamento e nos governos locais. A Organização dos Estados Americanos (OEA) disse que 10 das cadeiras do Senado conquistadas pelos partidários de Aristide deveriam ser submetidas a um segundo turno. Alguns países chegaram a ameaçar retirar a ajuda financeira ao Haiti.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.