Argumento da sigla 'é conversa para boi dormir', diz deputado

A decisão do PTB de abandonar a presidente Dilma Rousseff e declarar apoio ao tucano Aécio Neves deixou os petistas num misto de surpresa e irritação. "Acho que é conversa para boi dormir. Não é problema nos Estados, isso todo mundo tem", afirmou o vice-presidente do PT, deputado José Guimarães (CE).

O Estado de S.Paulo

22 Junho 2014 | 02h03

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), avaliou que a defecção "não é o fim do mundo". "Chama atenção para termos mais cuidado com os outros aliados", disse o parlamentar. O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) foi mais contido. "Se é real que houve essa defecção, só posso lamentar", afirmou, antes de se confirmar a notícia.

O PTB chegou a anunciar apoio à reeleição, mas decidiu mudar de lado alegando divergências em acordos estaduais com o PT. Um dos conflitos entre o governo e o PTB foi a tentativa frustrada de indicar o senador Gim Argello (DF) ao Tribunal de Contas da União (TCU). O secretário-geral do PT, deputado Geraldo Magela (DF), disse que o governo não pode ser culpado pelo fracasso. "A responsabilidade foi dele." / ERICH DECAT, RICARDO DELLA COLETTA e RICARDO BRITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.