Argentina e Uruguai trocarão dados sobre violações

Os governos da Argentina e do Uruguai assinaram nesta quinta-feira (6) um memorando de entendimento para trocar informações e documentos sobre as violações de direitos humanos durante o período das ditaduras militares nos dois países. De acordo com a chancelaria argentina, os governos uruguaio e argentino irão ajudar um ao outro no esclarecimento de crimes ocorridos no período. "Se trata de uma aposta na relação bilateral entre os dois países e um compromisso com a memória e a verdade", diz a nota.

LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

06 de dezembro de 2012 | 18h05

Os governos de Uruguai e Argentina colaboraram durante os períodos de ditadura com a troca de informações e de presos pelos regimes militares. A ditadura na Argentina começou em 1976, com um golpe que derrubou a então presidente Isabelita Perón, e terminou em 1983, com a eleição de Raúl Alfonsín. A estimativa é que até 30 mil pessoas desapareceram durante a repressão. No Uruguai, o período militar foi de 1973, quando o então presidente Juan María Bordaberry fechou o Congresso com ajuda dos militares, e terminou em 1985 quando Julio Maria Sanguinetti assumiu o governo como primeiro presidente civil após o período ditatorial.

Tudo o que sabemos sobre:
DITADURAArgentinaUruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.