Argentina e México fecham apoio para Conselho de Segurança

Presidentes dos dois países já combinaram quem ficará com a cadeira rotativa da ONU nos próximos anos

Ariel Palacios, do Estadão,

31 de julho de 2007 | 19h12

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner e o presidente do México, Felipe Calderón, realizaram um pacto para que seus respectivos países ocupem a disputada cadeira rotativa no Conselho de Segurança da ONU nos próximos anos. Calderón e Kirchner combinaram que a Argentina apoiará a candidatura mexicana para o período 2009-2010. O México apoiará a Argentina para 2013-2014.   O pacto foi encarado pelos analistas como um sinal direto ao Brasil, que prega a criação de uma cadeira permanente que requer para si. A aliança argentino-mexicana foi selada uma semana antes da visita que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizará ao México.   Tanto na Cidade do México como em Buenos Aires existe uma velha rivalidade com Brasília por essa cadeira. Ao longo da última década os vários governos mexicanos e argentinos sempre torpedearam a ambição do Brasil em conseguir uma cadeira permanente no conselho.   Os analistas portenhos indicaram que a visita de Kirchner a Calderón teve a intenção de reduzir o poder do Brasil na região, utilizando o México como contrapeso. Para Calderón, a aliança com Kirchner vem a calhar, já que há anos seu país tenta conseguir aliados na América do Sul para aumentar sua influência.

Tudo o que sabemos sobre:
Conselho de Segurança da ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.