Arcebispo pede para que ‘pobre’ não pague conta

D. Raymundo Damasceno de Assis recebeu mensagem do presidente Michel Temer em felicitação ao Dia da Padroeira pedindo a bênção ao seu mandato e ao seu projeto político para atender às necessidades do povo

Gerson Monteiro, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2016 | 23h27

APARECIDA (SP) - O arcebispo de Aparecida, d. Raymundo Damasceno de Assis, recebeu uma mensagem do presidente Michel Temer em felicitação ao Dia da Padroeira, celebrado nesta quarta-feira, 12, no Santuário Nacional. Na mensagem, segundo o religioso, o presidente pediu a bênção ao seu mandato e ao seu projeto político para atender às necessidades do povo. O arcebispo disse esperar “que o novo governo consiga pensar nos mais pobres e que não sejam eles a pagar a conta”.

A mensagem foi enviada anteontem, mas o anúncio foi feito ontem durante coletiva de imprensa logo após a missa solene, com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e os secretários estaduais do Turismo e da Segurança Pública, Laércio Benko e Mágino Alves Barbosa Filho.

Para d. Damasceno, os cristãos, em especial os católicos, devem se envolver com a política de forma ética para atuar em espaços “hoje ocupados por políticos corruptos”. “Nós animamos e estimulamos o cristão a se empenhar na política, a não ter medo dela, até mesmo a se filiar a partidos políticos que defendam os princípios e que estejam adequados e coerentes com o ensinamento social da Igreja”, disse o religioso.

Espaço. “Se deixarmos nos invadir pelo pensamento de que a política é corrupta, que todos os políticos são corruptos, que ela não contribui em nada para o desenvolvimento, fica evidente que estamos abrindo espaço para políticos que não deveriam ocupar esse cargo”, disse arcebispo de Aparecida.

Segundo d. Damasceno, a Igreja tem o papel de se relacionar com o poder público, procurando sempre colaborar para o bem geral do País. “Essa é a nossa grande preocupação.”

Mais conteúdo sobre:
Michel TemerGeraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.