Apuração da morte do primo de tucano será acompanhada pela PF

O líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante, disse que a Polícia Federal vai acompanhar a investigação sobre o assassinato do primo do senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), Luiz França de Moura Neto. Também deverá ser concedido ao senador e à sua família um esquema de proteção de vida, se for de interesse do parlamentar.Mercadante disse que todas as hipóteses devem ser investigadas, inclusive a de o crime ter sido cometido por organizações criminosas ligadas ao jogo do bicho. O líder governista deverá acompanhar o senador tucano a uma audiência com o ministro da Justiça, ainda hoje. Paes de Barros disse que não pretende fazer vinculação da morte de seu primo com a sua atuação parlamentar. "Quero apenas que investiguem. E não serei leviano. Não posso acreditar que isso tenha algo com o governo", disse Paes de Barros, que é o autor do requerimento de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar denúncias contra o ex-assessor da Casa Civil, Waldomiro Diniz. Ele negou também que esteja sendo ameaçado.Antero afirmou que o seu primo era uma pessoa de vida modesta, o que não justificaria o sequestro nem o ato de violência praticado contra ele. Segundo o senador, o que lhe causou estranheza foi o fato de além de ter sido assassinado, seu primo foi carbonizado. Para Paes de Barros isso parece mais um recado do crime organizado. Mercadante, ligou para o ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, pedindo que acompanhe o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.