Aproveitem e reivindiquem no meu governo, diz Lula aos índios

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, em discurso na reserva indígena do Guarita, que movimentos sociais terão mais dificuldades de serem atendidos em outros governos. "Não tenham medo de reivindicar. Aproveitem e reivindiquem no meu governo, porque se eu não atender, muito mais difícil será para vocês serem atendidos (depois)", afirmou.Cerca de duas mil pessoas assistiram a entrega simbólica de energia elétrica para cerca de 1.071 famílias caingangues. O projeto Luz para Todos foi instalado há três meses na reserva, mas só agora está sendo realizada a inauguração. O investimento foi de R$ 2,5 milhões. Pegam e não pagamUm agricultor gritou pedindo ao presidente que salvasse a agricultura. No discurso, Lula reclamou dos grandes fazendeiros, que segundo ele, pegam empréstimos em bancos oficiais e não pagam. Lula disse que em ano de eleição surgem muitos "planos salvadores" para a agricultura, no Congresso, mas que não resolvem o problema. "Tem alguns neste País que não pagam, quando o governo faz um plano de refinanciamento", afirmou. "Se a gente não der um chega pra lá nisso, estamos estimulando os honestos a virarem desonestos, pois passa a ser uma vantagem não pagar", acrescentou. Lula disse que é preciso separar as laranjas podres das boas, para não se perder o pomar. Ele citou um projeto aprovado pelo Congresso Nacional, que foi vetado por ele, porque previa R$ 7 bilhões a 590 fazendeiros endividados.RecadoO presidente criticou duramente os que afirmam que os índios já têm muita terra no Brasil. "Há 20 anos não faltavam aqueles que escreviam artigos e saiam matérias dizendo que os índios tenham muita terra e não precisavam de tanto", disse Lula, numa clara referência às recentes declarações do presidente da Funai, Mércio Pereira Gomes, de que tem muita terra para pouco índio no Brasil. Lula porém não citou nomes, mas ao falar do Dia do Índio, comemorado hoje, reclamou em público da ausência do presidente da Funai, no evento. Lula disse que sempre que é possível procura atender as reivindicações dos povos indígenas. Ele lembrou da homologação da reserva indígena Raposo Terra do Sol, em Roraima, e disse que espera demarcar, até o final do governo, 1,1 milhão de quilômetros quadrados. Lula disse que o governo já homologou 55 áreas indígenas, totalizando 9 milhões de hectares. O governador Germano Rigotto não compareceu ao evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.