Aprovação pessoal da presidente tem maioria apertada

Satisfação com Dilma é maior nas faixas de renda e de escolaridade mais baixas

Daniel Bramatti,

23 de agosto de 2013 | 23h50

A pesquisa Ibope, além de medir a aprovação ao governo como um todo, avaliou a opinião dos brasileiros sobre a atuação pessoal de Dilma Rousseff. Nesse caso, houve uma virada: por margem apertada, a maioria agora aprova a presidente e confia nela.

No levantamento anterior do instituto, feito em 13 de julho, o índice de desaprovação a Dilma chegava a 49%, enquanto 45% diziam aprovar seu desempenho. Na pesquisa de agosto, a parcela dos satisfeitos subiu para 52%, enquanto o índice de desaprovação caiu para 43%.

Na região Nordeste, 59% aprovam a maneira como Dilma governa o País. No Sul, esse índice cai para 45%. A aprovação é maior nas faixas de renda e escolaridade mais baixas.

A parcela dos que dizem confiar na presidente aumentou de 45% para 51%. Os que não confiam nela são agora 44%, seis pontos porcentuais a menos do que no levantamento anterior.

 

Antecessores. Dilma está completando seu 32.º mês de governo. Quando tinha esse mesmo tempo de mandato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha taxas de aprovação e de confiança inferiores à da atual governante.

Lula, em agosto de 2005, era aprovado por 45% dos eleitores, segundo pesquisa Ibope feita na época. Os que confiavam no então presidente eram 43%. Naquele momento, o petista vivia o ápice da a maior crise de seu governo - o escândalo do mensalão havia estourado apenas dois meses antes.

Já o tucano Fernando Henrique Cardoso, ao completar dois anos e oito meses de mandato, em agosto de 1997, vivia situação um pouco mais confortável que a de Dilma: suas taxas de aprovação e de confiança eram, respectivamente, de 55% e 54%.

Tudo o que sabemos sobre:
Ibopepopularidadedilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.