Aprovação ao presidente Lula se mantém estável, diz CNI/Ibope

Ainda segundo a pesquisa deste mês, os brasileiros elevam a nota média do governo de 7,5 para 7,6

Fabio Graner, da Agência Estado,

22 de setembro de 2009 | 11h02

 

A avaliação positiva do governo Lula subiu em setembro, atingindo 69%, de acordo com a pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta terça-feira, 22. No levantamento de junho, o índice de ótimo/bom para o governo Lula era de 68%. A oscilação ocorreu dentro da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos porcentuais. A avaliação regular do governo Lula caiu de 24% para 22%, na mesma base de

comparação, enquanto o índice de ruim/péssimo subiu de 8% para 9%.

 

Veja Também

linkSerra lidera cenários e Ciro já empata com Dilma, diz Ibope

linkDirceu afirma que Ciro é um problema maior para os tucanos

linkContido, Serra se diz satisfeito com pesquisa

 linkPara Ciro, pesquisa reforça necessidade de duas candidaturas

linkVariável econômica explica popularidade de Lula, diz CNI

 

A aprovação pessoal ao presidente Lula subiu de 80% para 81%, mas a desaprovação também subiu,

passando de 16% para 17%, entre junho e setembro. Houve queda no índice dos que não sabem ou

não responderam, que passou de 4% para 2%.

 

De acordo com a pesquisa, a nota média para o governo Lula subiu de 7,5 para 7,6, em escala de

zero a 10. Já a confiança no presidente ficou estável, em 76%, enquanto 22% disseram não confiar no

presidente, ante 21% no levantamento anterior.

 

A pesquisa também fez uma comparação entre o primeiro e o segundo mandatos do governo Lula, em

que, para 44% a atual gestão do presidente é melhor que a anterior. Antes, 45% entendiam que o

segundo mandato era melhor que o primeiro. O índice dos que consideram o atual mandato igual ao

primeiro se manteve em 40% e os que consideram o segundo mandato pior que o primeiro ficou

estável em 14%.

 

A pesquisa CNI/Ibope foi realizada no período de 11 a 14 de setembro, ouvindo 2.002 pessoas, em

142 municípios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.