Aprovação a Lula sobe a 84% e bate novo recorde

Dados da pesquisa CNT/Sensus divulgadas nesta terça também mostram recorde no apoio ao governo, com 72,5%

Fabio Graner, da Agência Estado

03 de fevereiro de 2009 | 11h07

As avaliações positivas do governo e a aprovação pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva atingiram, em janeiro, níveis recordes na série histórica da pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta terça-feira, 3. A despeito dos sinais de impacto da crise financeira internacional sobre a economia doméstica, a avaliação positiva do governo subiu de 71,1%, em dezembro, para 72,5% em janeiro. Este é o maior índice da série histórica, superando os 83,6% obtido pelo próprio Lula em janeiro de 2003.   Veja também:  Cientista político comenta alavancada de Dilma Analista: 'Dilma superou desafio dos dois dígitos'  Você concorda com a pesquisa?  Dilma sobe, Serra cai, mas mantém liderança para 2010  Gráfico e números da pesquisa CNT/Sensus    A aprovação ao presidente Lula passou de 80,3%, em dezembro, para 84% em janeiro. A desaprovação ao presidente diminuiu de 15,2% para 12,2%. A avaliação negativa sobre o governo recuou de 6,4% para 5%, enquanto a avaliação regular ficou praticamente estável, passando de 21,6% para 21,7%.   Segundo o presidente da CNT, Clésio Andrade, a alta da popularidade de Lula e de seu governo se deve ao fato de as pessoas acreditarem no discurso do presidente de que a crise é passageira e que o governo está agindo para superá-la. "Há forte esperança da população centrada no discurso e ações do governo. As pessoas acreditam que a crise é passageira", disse Andrade, destacando que, pessoalmente, não acredita que a atual crise terá curta duração. "O presidente Lula virou a âncora da esperança", acrescentou.   A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos para cima ou para baixo.   Sucessão     O governador de São Paulo,  José Serra (PSDB), caiu de 46,5% para 42,8% em janeiro de 2009 na pesquisa -com lista- para a sucessão de 2010, segundo pesquisa divulgada pelo CNT/Sensus. Já a possível candidata Dilma Rousseff, ministra-chefe da Casa Civil, subiu de 10,4% para 13,5% desde o último levantamento, em dezembro de 2008. No entanto, o tucano ainda segue na liderança.   Nas pesquisas espontâneas, o presidente Lula lidera, com 21,3% dos votos, seguido pelo tucano (8,7%), Aécio (3,9%) e Dilma (2,5%).     Texto atualizado às 11h40

Tudo o que sabemos sobre:
CNT/SensusLulapopularidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.