Apreendidos documentos e equipamentos de três bingos do Rio

O Ministério Público apreendeu nesta sexta-feira documentos, dinheiro e equipamentos nos bingos 13 de Maio, Cidade e Imperial, no centro do Rio. De acordo com o MP, há "fortes indícios de práticas de contravenção" nos três estabelecimentos e o objetivo da operação era "obter provas materiais para ingressar com ação penal contra seus sócios".O material apreendido será periciado pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli, que buscará evidências de crimes como lavagem de dinheiro, agiotagem e sonegação fiscal. Os três bingos estão funcionando com autorizações vencidas, contravenção que pode ser punida com até dois anos de prisão. Em nota, o MP informa que os "jogos de azar são uma contravenção" e que a autorização para o funcionamento de bingos foi revogada pelo Congresso Nacional em julho de 2000. A legislação deu prazo até dezembro desse ano para que os bingos em situação regular encerrem suas atividades. No Rio, segundo o MP, as autorizações existentes só valem até 14 de novembro. São 22 bingos na capital e dez no interior.A operação de hoje é parte de uma ação integrada de Ministérios Públicos em todo o País, que investigam em conjunto crimes como roubo de cargas, adulteração de combustível, pirataria e tráfico de drogas. O mandado de busca e apreensão foi concedido pelo juiz Antônio Carlos Nascimento Amado, do II Juizado Especial Criminal da capital. Ações semelhantes já ocorreram também em Goiás, São Paulo, Minas Gerais e Bahia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.