Aposentados reivindicam reajuste igual ao do mínimo

O presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, João Batista Inocentini, afirmou nesta quarta-feira que os aposentados reivindicam um reajuste dos benefícios de 8,56%, "igual ao que foi concedido ao salário mínimo". "A curto prazo estamos pedindo o reajuste com base no mesmo índice do salário mínimo, de 8,56%", emendou ele, após participar de reunião de pauta entre as centrais sindicais e a Confederação Brasileira dos Aposentados.O presidente do Sindicato disse que foi discutida também, entre outras pautas, a antecipação do 13º salário. "Queremos que seja pago 50% em junho e a outra metade em dezembro". E acrescentou que os aposentados desejam que o reajuste seja mantido, este ano, no benefício pago no mês de abril. No próximo ano, a proposta é antecipar o reajuste para o mês de março e, assim sucessivamente até o ano de 2010, com o reajuste incidindo já no primeiro mês do ano.Inocentini mostrou-se animado com o segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), apesar de, no seu entender, terem ocorrido erros na gestão anterior. "Teve erros, sim, mas teve coisas boas. Estou bastante animado, mas pode melhorar mais para os aposentados. Nós queremos uma mudança na Previdência Social, pois o problema da Previdência é um problema social", opinou.Entre as possíveis melhorias a serem realizadas pelo presidente neste segundo mandato estão, segundo Inocentini, acabar com a corrupção e requalificar os trabalhadores da Previdência, para "acabar com a máfia do sistema". "Diz-se que acabaram as filas do INSS, mas a fila acabou entre aspas. Elas (as filas) foram transferidas para dentro do INSS e o cadastramento de aposentados continua demorando muito".O presidente do Sindicato comentou, também, a eleição do futuro presidente da Câmara dos Deputados. Segundo Inocentini, a diferença entre Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Aldo Rebelo (PC do B-SP) é apenas "de tamanho de partido". "O Arlindo tem um partido forte, e o Aldo um partido pequeno", avaliou. "Não tenho preferência. Acho que os dois, se quiserem, podem fazer um bom trabalho, pois têm condições e competência para isso. O importante é trabalhar em conjunto, pois os deputados representam o povo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.