Aposentadoria de Lula como anistiado é regular, diz MPF

O Ministério Público Federal (MPF) concluiu que foi regular a aposentadoria de anistiado concedida em 1993 ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Concedido sob a alegação de que Lula perdeu os seus direitos sindicais em 1980, o benefício foi questionado pelo deputado estadual Eliseu Gabriel da Silva Júnior. O parlamentar observou que Lula não foi encarcerado pelo regime militar, ao contrário do que ocorreu com outros anistiados.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agencia Estado

19 Outubro 2009 | 18h42

Para chegar a essa conclusão, o procurador da República no Distrito Federal Peterson de Paula Pereira baseou-se em informações do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e dos ministérios do Trabalho e da Justiça. Lula obteve a aposentadoria porque perdeu os direitos sindicais e foi destituído do cargo de presidente dos Sindicatos dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo.

Pereira determinou o arquivamento do procedimento administrativo aberto para apurar eventuais ilegalidades na concessão da aposentadoria a Lula. "Após perquirição dos autos e abreviada súmula daquilo que pertine ao objeto desta representação, não havendo afetação a nenhum interesse público ou direito indisponível a ser guarnecido, promovo o arquivamento dos presentes autos ante a inexistência do interesse de agir", disse o procurador.

Mais conteúdo sobre:
ditadura Lula anistia MPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.