Após ultimato da PM, sem-terra desocupam fazenda em Minas

Os sem-terra que ocupavam a Fazenda Dalel Aparecida, em Buritis, no noroeste de Minas, cumpriram a decisão judicial de reintegração de posse e deixaram a propriedade. Segundo o capitão da Polícia Militar, Elias Andrade Oliveira, a desocupação ocorreu de forma pacífica e nenhum incidente foi registrado. A PM mobilizou 120 homens para a operação, sendo 80 do batalhão de Unaí, cidade vizinha, e 40 do pelotão de choque do município de Patos de Minas. Um helicóptero e uma guarnição do Corpo de Bombeiros deram apoio. Formado por uma dissidência do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), o grupo se dividiu ao deixar o imóvel. A maior parte das famílias retornou para três acampamentos na região, de onde saíram para realizar a invasão, no dia 10 de abril. Cerca de 20 pessoas, de acordo com a PM, se deslocaram para a Fazenda São Vicente da Direita, a 10 quilômetros da área invadida, na zona rural de Buritis. O imóvel está em processo de desapropriação e foi oferecido durante as negociações para servir de acampamento por representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de Brasília. Segundo Oliveira, os policiais militares escoltaram os sem-terra durante a desocupação, concluída por volta de meio-dia. Após quatro dias de tensas negociações, a PM havia estabelecido a manhã de ontem como prazo limite para que os sem-terra cumprissem a decisão judicial. ?Eles foram inteligentes e resolveram sair. Não havia mais como negociar?, disse o capitão. O Instituo Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) prometeu distribuir cestas básicas e lonas para as famílias que deixaram a propriedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.