Após tumulto, ACM Neto vota em Salvador

O candidato do Democratas à prefeitura de Salvador, ACM Neto, votou no fim da manhã de hoje, na Faculdade de Administração da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no Vale do Canela, área nobre da cidade. Recebido pelos eleitores com gritos de "já ganhou", Neto chegou ao local às 11h15 (12h15 pelo horário de Brasília), 45 minutos depois do previsto. O atraso foi causado por um conflito entre partidários do DEM e do PT, partido do adversário do democrata no segundo turno, Nelson Pelegrino.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 15h21

A confusão começou, de acordo com a Polícia Militar, com uma discussão entre duas militantes adversárias que realizavam boca-de-urna, distribuindo santinhos, na porta da faculdade, pouco antes das 10 horas. Rapidamente, cerca de 50 apoiadores de Pelegrino, que já planejavam uma ação de protesto para a chegada de ACM Neto, se uniram para provocar os partidários do DEM que estavam no local à espera do candidato.

Houve bate-boca, seguido de empurra-empurra entre os grupos. A entrada da faculdade acabou sendo bloqueada pelos manifestantes, o que impediu o acesso dos eleitores ao local. Equipes de choque da PM foram acionadas para fazer um corredor de proteção aos que queriam entrar na zona eleitoral.

Mesmo com a presença ostensiva da polícia, as provocações continuaram, com gritos de guerra e palavras de ordem. Do lado dos partidários de ACM Neto, os militantes gritavam "Mensaleiro, mensaleiro, mensaleiro" contra os petistas, que respondiam cantando "um, dois, três, ACM no xadrez".

A chegada de Neto causou nova agitação no local. Acompanhado das duas filhas, Livia e Marcela, da candidata a vice, Célia Sacramento (PV), e de lideranças locais e nacionais do DEM - como o presidente estadual do partido, José Carlos Aleluia, e o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) - e de partidos aliados no Estado, como os líderes do PMDB na Bahia, os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima, Neto foi recebido com gritos de "já ganhou" pela maior parte dos eleitores, enquanto os petistas vaiavam. Na região onde fica a faculdade, o democrata venceu com folga no primeiro turno.

Depois de votar, Neto reclamou da confusão. "O que o PT fez hoje aqui, na minha zona de votação, é o maior sinal de desespero do lado de lá", disse, referindo-se à pesquisa Ibope, divulgada na noite de ontem, que lhe deu vantagem de 10% dos votos válidos. "Vocês certamente acompanharam a votação do candidato Nelson Pelegrino e perceberam que ele pode votar em paz. Nós não fazemos esse tipo de intimidação. O PT fez, aqui, a campanha mais agressiva do Brasil, desde o primeiro dia, e em vez de terminar a campanha em festa, comemorando, encerram com ataques e ameaças."

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012SalvadorDEMACM Neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.