Após suspeita de grampo, STF sofre ameaça de bomba

Além da varredura feita no gabinete da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) para identificar suspeitas de grampos telefônicos e escutas ambientais, não confirmadas, os seguranças do STF tiveram de vasculhar os três prédios do tribunal depois de receberem telefonema anônimo com uma ameaça de bomba.De acordo com relato de funcionários do tribunal, quem ligou para o STF para relatar a ameaça disse que três artefatos tinham sido instalados no Supremo. Assim que souberam da ligação, no início da manhã, os seguranças fizeram uma varredura nos prédios e não encontraram nada.A assessoria de imprensa do Supremo confirmou o relato dos funcionários, classificou o ato como "lamentável" e atribuiu a ameaça à exposição do STF na Operação Satiagraha da Polícia Federal, que prendeu e depois foi obrigada a soltar, por habeas-corpus concedidos pelo Supremo, o sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.