Após sentir dor, ministra é internada em São Paulo

Após sentir dores nas pernas, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, voou às pressas na noite de ontem de Brasília para São Paulo, em um avião da empresa prestadora de seu plano de saúde. A viagem foi feita por recomendação da equipe médica com qual Dilma se trata de um câncer linfático, no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista.Dilma passou o dia no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, no gabinete em que vem trabalhando desde o início da reforma no Palácio do Planalto. À tarde, ela se encontrou com o presidente interino José Alencar, o ministro da Integração, Geddel Vieira Lima, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. A ministra só deixou o local às 18 horas. Na portaria, disse que não daria entrevistas por ter compromissos, sem dar detalhes. Seguiu então para o Hospital das Forças Armadas, onde recebeu analgésicos.À noite, quando Dilma estava a caminho de São Paulo, o Palácio do Planalto informou que as dores já haviam passado e o motivo da viagem era a necessidade de uma avaliação médica. Em visita oficial à China, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu informes sobre o estado de saúde da ministra.No Sírio-Libanês, Dilma deveria se submeter a uma bateria de exames e passar a noite em um quarto. Na semana passada, a ministra se submeteu à segunda das seis sessões de quimioterapia previstas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.