Aloísio Mauricio/Estadão Conteúdo
Aloísio Mauricio/Estadão Conteúdo

Após sair da prisão, prefeito eleito de Osasco toma posse

Rogério Lins (PTN) é suspeito de envolvimento com esquema de corrupção na Câmara Municipal; ele foi preso em 30 de dezembro

O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2017 | 15h37

O prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN), tomou posse neste domingo, 1, em solenidade na Câmara Municipal. Ele foi solto na sexta-feira, 30, após ficar preso por cinco dias na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

Lins estava preso desde o domingo de Natal, por suspeita de envolvimento em um esquema milionário de corrupção descoberto pela Operação Caça-Fantasmas na Câmara de Osasco – 14 vereadores, entre eles o próprio Lins, são acusados de captação de dinheiro de parte do salário de assessores dos vereadores. 

A ordem de prisão contra o prefeito eleito foi expedida no dia 6 de dezembro, mas Lins só se entregou no dia 25, após retornar de uma viagem a Miami, nos Estados Unidos.

O prefeito eleito foi solto por ordem do desembargador Fábio Gouvêa, para quem ‘não há necessidade da manutenção da prisão preventiva’ do político. A defesa dele nega que Lins tenha contratado servidores ilegalmente e afirma que a inocência do prefeito será comprovada na Justiça.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    OsascoOperação Caça-Fantasmas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.