Após reunião no Planalto, aliados defendem José Dirceu

Após reunião com o ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, no Palácio do Planalto, os líderes aliados reforçaram posição contrária ao afastamento do governo do ministro da Casa Civil, José Dirceu. O líder do PMDB, José Borba (PR), disse ser contra o afastamento do ministro. O líder do PSB, Renato Casagrande (ES), também depois da reunião, considerou que o episódio Waldomiro Diniz ?atingiu a imagem do governo com muita intensidade?.Ele ponderou que em relação quanto à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o caso Waldomiro, as pessoas que se disseram favoráveis à sua instalação querem a apuração das irregularidades e entendem que o instrumento para isso é a comissão. ?Se o governo, a Polícia Federal e o Ministério Público desenvolvem esse trabalho, atendem aos anseios da sociedade?, afirmou Casagrande. O deputado Professor Luizinho (PT-SP), vice-líder do governo na Câmara, afirmou que o governo já tomou todas as providências sobre o caso Waldomiro Diniz. Disse também que o Palácio do Planalto não se pauta por pesquisas. Luizinho referia-se ao resultado de recente pesquisa de opinião desfavorável ao governo e ao ministro José Dirceu e que foi lida durante a reunião com Rebelo. A pesquisa do Instituto DataFolha mostra que 67% dos entrevistados acham que Dirceu deve ser afastado do cargo, 81% defendem a instalação de uma CPI para apurar o caso Waldomiro Diniz e 43% disseram que Dirceu se envolveu diretamente nas irregularidades de seu ex-assessor, demitido depois da divulgação de fita em que aparece pedindo contribuição de campanha e propina a um empresário do jogo em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.