Após reunião com Mantega, Serra suaviza críticas ao PAC

Ao fim de uma reunião na qual debateu os interesses de São Paulo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o governador José Serra (PSDB) suavizou nesta sexta-feira o tom das críticas ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e colocou-se como aliado do Planalto para promover a reforma tributária. Serra afirmou, em entrevista coletiva, que as propostas de investimento feitas pelo governo federal para as obras do Rodoanel eram "bastante satisfatórias".Além disso, o governador foi estimulado pelo ministro Mantega a ser um agente ativo nas negociações para a reforma tributária e concordou de imediato. "Estamos absolutamente disponíveis como governo do Estado e como homem público", disse Serra, ressaltando que a provação da reforma tributária "não é fácil, mas não será São Paulo que colocará dificuldades; pelo contrário, contribuiremos".Pressionado a confirmar ou não as críticas duras que fez logo após o anuncio que do PAC, o governador tentou desconversar, dizendo que havia debatido questões macroeconômicas com Mantega, mas que elas não são "objeto do debate entre a Fazenda e o governo do Estado". Diante da insistência dos repórteres para saber que se na opinião dele o País crescerá 5% com o PAC, Serra respondeu: "Acho que como tal, em si, isso exige complemento na política econômica, mas isso é outra discussão".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.