Após reunião com Dilma, Bezerra não entrega cargo

A presidente Dilma Rousseff esteve reunida nesta quinta-feira, 19, durante meia hora, com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. A informação sobre esse encontro foi relatada pelo porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann. Decisão sobre a saída de Fernando Bezerra do comando do Ministério da Integração Nacional, no entanto, será tomada somente no final da semana que vem. A saída do ministro seria um reflexo do rompimento do PSB com o governo, conforme anunciado nesta quarta-feira, 18.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 20h37

O ministro foi para a reunião no Planalto portando a carta de demissão do cargo, em reflexo ao anúncio feito nesta quarta de saída do PSB do governo Dilma. Mas nenhuma decisão a respeito do assunto foi tomada, pelo menos hoje. O tema voltará à pauta somente na próxima semana. Dilma pediu a Fernando Bezerra que eles rediscutissem o tema na volta da viagem que ela fará a Nova York. Como a presidente só retornará ao Brasil na próxima quinta-feira, 26, a saída - ou permanência - do atual ministro da Integração Nacional Nacional é uma decisão que fica postergada pelo menos até a próxima sexta-feira, 27. Na prática, portanto, ele não entregou a carta de demissão.

A reunião entre Dilma e Fernando Bezerra ocorreu no Palácio do Planalto, depois que a presidente retornou de viagem a Rondonópolis (MT). Ela esteve em Mato Grosso participando da cerimônia de inauguração do Projeto Expansão Malha Norte - conclusão da Ferronorte e início da operação do Complexo Intermodal de Rondonópolis.

O PSB ocupa atualmente o Ministério da Integração Nacional, três diretorias da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a Secretaria dos Portos, as presidências da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). O presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, esteve nesta quarta no Palácio do Planalto, para comunicar a presidente Dilma sobre o rompimento da legenda com o governo. Campos entregou uma carta aprovada pela Executiva Nacional na qual a sigla entregou todos os cargos que ocupa no Executivo.

Por enquanto, porém, Fernando Bezerra Coelho fica onde está. O ministro da Secretaria de Portos, Leônidas Cristino, por sua vez, está no Panamá até o dia 22 de setembro, participando de uma reunião de ministros iberoamericanos e para assinar memorando de entendimento com autoridade marítima naquele país. Dilma não pretende mandá-lo voltar para que entregue o cargo.

Mais conteúdo sobre:
DilmaFernando Bezerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.