Após resposta do TSE, PDT irá à Justiça para reaver mandato

O presidente nacional do PDT e futuro ministro do Trabalho, Carlos Lupi, disse que o partido vai entrar na Justiça para reaver o mandato do deputado Maurício Quintella Lessa (AL). Nas eleições de outubro de 2006, Maurício Lessa foi eleito pelo PDT, mas em 15 de janeiro trocou de partido e ingressou no PR (resultado da fusão do PL com o Prona). "Se a pessoa foi embora, boa viagem. Não tem passagem de volta", afirmou Lupi. "É como marido e mulher: traiu não tem de aceitar de volta", completou o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), conhecido como Paulinho da Força Sindical.Na última terça-feira, 27, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) interpretou que o mandato do parlamentar eleito em eleições proporcionais é do partido e não do candidato. A fidelidade partidária impede o troca-troca partidário. A definição do tribunal foi uma resposta a um questionamento do PFL, partido que perdeu oito deputados para a base governista. Ainda há dúvidas sobre a aplicação legal em relação ao troca-troca anterior à conclusão do tribunal. Os advogados do PDT estudam se entram com um pedido junto à Mesa Diretora da Câmara para reaver a vaga ou se recorrem direto ao Supremo Tribunal Federal (STF). "Não sei ainda qual o mecanismo que vamos usar. Mas é certo que vamos tentar reaver a vaga do PDT", garantiu Carlos Lupi. "Essa decisão do TSE é importante porque fortalece os partidos, além de coibir o troca-troca", observou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.