Após repasses para a PM-DF, Sarney defende ressarcimento

Senador explicou que convênio com PM-DF foi assinado em 1988, na época da Assembleia Nacional Constituinte

Agência Brasil,

08 Outubro 2009 | 16h10

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu nesta quinta-feira, 8, que eventuais prejuízos causados por um convênio entre o Congresso - Câmara e Senado - e a Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) sejam ressarcidos ao Legislativo.

 

Matéria publicada pelo jornal Folha de S.Paulo diz que, entre 2004 e 2007 a PM-DF teria recebido R$ 3 milhões e que parte dos recursos teria sido gasta na manutenção de helicópteros e compra de cartuchos.

 

Sarney explicou que o convênio foi assinado em 1988, na época dos trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, para reforçar a segurança dos parlamentares. De acordo com o senador, os recursos destinados à compra dos equipamentos necessários a essa tarefa foram colocados na conta única do governo do Distrito Federal.

 

"Esse dinheiro, então, perdeu a identidade de onde saía para o convênio e foi destinado a comprar todas as coisas da Polícia Militar", acrescentou Sarney. Ele já pediu à Consultoria Jurídica para examinar o uso dos recursos repassados para que eventuais "excessos" que tenham causado prejuízo ao Congresso sejam recuperados.

Mais conteúdo sobre:
Sarney Congresso convênio PM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.