Após renúncia de Delcídio, CAE do Senado elege Gleisi Hoffmann presidente

Por unanimidade, senadora petista Gleisi Hoffmann (PR) foi eleita pela Comissão de Assuntos Econômicos e ficará no cargo durante este ano. A vaga era ocupada por Delcídio Amaral (PT-MS), que vai concentrar esforços em defesa no Conselho de Ética

Ricardo Brito, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2016 | 12h22

Brasília - A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado elegeu há pouco, por unanimidade, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) para comandar o colegiado, uma semana após a renúncia do senador Delcídio Amaral (PT-MS). A saída voluntária de Delcídio, antecipada pelo Broadcast Político, serviço de notícias em tempor real da Agência Estado, tinha por objetivo tentar retirá-lo do foco, de forma a evitar a cassação do mandato dele.

Gleisi ficará no cargo durante o ano de 2016. A CAE, segunda comissão mais importante do Senado, é reservada à bancada do PT, a segunda maior do Senado. Após eleita, a senadora agradeceu aos presentes e disse que atuará, apesar das suas posições pessoais, como "mediadora" no colegiado. "Meu compromisso é o de que, sempre que entender necessário defender as posições, farei fora da presidência", destacou.

Delcídio, que ficou preso durante quase três meses por suspeita de obstrução dos trabalhos da Operação Lava Jato, pediu a exclusão do colegiado a fim de concentrar seus esforços na defesa no Conselho de Ética. Assim que foi solto, o petista pediu licença do mandato por motivo de saúde.

Contudo, o senador do PT voltou ao foco após a divulgação, na quinta-feira da semana passada, 3, do acordo para delação premiada feito por ele, implicando a presidente Dilma Rousseff ao afirmar que ela indicou um ministro do Superior Tribunal da Justiça (STJ) numa tentativa frustrada de livrar da cadeia dois presos da Lava Jato, os empresários Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo, da Andrade Gutierrez. Dilma nega as acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.