Joedson Alves/EFE
Joedson Alves/EFE

Após reação de evangélicos, Bolsonaro tem encontro marcado com apoiador do 'Escola sem Partido'

Guilherme Schelb poderia agradar a bancada evangélica, que reagiu negativamente à notícia de que o educador Mozart Neves, do Instituto Ayrton Senna, considerado mais moderado, já havia sido escolhido para a pasta

Julia Lindner e Leonencio Nossa, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2018 | 08h57

BRASÍLIA - O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a afirmar nesta quinta, 22, que ainda não há definição sobre o Ministério da Educação e que vai conversar nesta quinta-feira com o procurador regional da República do Distrito Federal, Guilherme Schelb. Schelb é abertamente defensor do projeto Escola Sem Partido e já se posicionou favorável ao tema em comissão especial sobre o assunto em 2017. Ele também afirma ser contra "discussão de gênero" nas escolas. 

O nome de Schelb poderia agradar a bancada evangélica, que reagiu à notícia de que o educador Mozart Neves, do Instituto Ayrton Senna, considerado mais moderado, já havia sido escolhido para a pasta da Educação. "Converso com todo mundo. Nem sei se ele (Mozart) estará aqui hoje, mas, se estiver, vou conversar. Precisamos ter um bom nome técnico."

Bolsonaro passou a noite na Granja do Torto e ainda não sabe se ficará lá até a posse. Disse que a escolha será tomada pela mulher, Michelle. Segundo ele, a futura primeira-dama "manda mais do que pensam, ela que vai decidir". Afirmou, ainda, em tom de brincadeira, que poderiam até morar no bairro Ceilândia, onde ela nasceu.

Bolsonaro visita na manhã desta quinta o Comando da Marinha para conversar com todos os indicados para as Forças Armadas. Os nomes dos futuros comandantes foram anunciados ontem pelo futuro ministro da Defesa, Fernando de Azevedo e Silva. Os escolhidos serão no dia da posse os oficiais generais mais antigos de cada Força. A Marinha será comandada pelo almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior. O comandante do Exército será Edson Leal Pujol e o da Força Aérea, o brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.