Após protestos, Dilma teria que disputar 2º turno, diz pesquisa

No levantamento realizado pela CNT/MDA, em junho, a presidente seria reeleita na primeira etapa

Atualizado às 11h49, Laís Alegretti e Daiene Cardoso - Agência Estado

16 de julho de 2013 | 11h18

Se as eleições de 2014 fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff disputaria o segundo turno, de acordo com pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, 16. No primeiro levantamento, realizado em junho, antes da intensificação dos protestos pelo País, Dilma venceria no 1º turno.

Segundo os dados divulgados nesta terça pela Confederação Nacional dos Transportes, Dilma aparece com 33,4% das intenções de voto, seguida pela ex-senadora Marina Silva (sem partido), com 20,7%; pelo senador Aécio Neves (PSDB), com 15,2%, e pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 7,4%. A pesquisa foi realizada entre 7 a 10 de julho, em 134 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. No levantamento feito em junho, Dilma aparecia com mais de 50% das intenções de voto nos dois cenários apresentados. Na mesma comparação, o índice de Aécio Neves (PSDB) oscilou de 17% para 15,2%; a de Marina Silva aumentou de 12,5% para 20,7%; e de Campos passou de 3,7% para 7,4%.

A presidente, no entanto, venceria todos os candidatos na segunda etapa, de acordo com os cenários apresentados. Se a disputa fosse contra Aécio, a petista teria 39,6% dos votos, ante 26,2% do tucano. Contra Marina, Dilma receberia 38,2% e Marina teria 30,5%. Já contra Eduardo Campos, a presidente seria reeleita com 42,1%, ante 17,7% do pernambucano.

Ainda de acordo com a CNT/MDA, Dilma tem o maior porcentual de rejeição entre os presidenciáveis para as eleições de 2014. Ao todo, 44,7% dos entrevistados não votariam na petista "de jeito nenhum". A segunda maior rejeição é de Aécio (36%), seguido de Eduardo Campos (31,9%) e Marina (31,5%).

Outros cenários. Se a disputa no segundo turno fosse entre Aécio Neves e Marina, a ex-senadora venceria com 35,6% dos votos, ante 23,3% do tucano. No cenário, Eduardo Campos contra Marina, ela venceria com 40,5%, ante 15,1% dele. Caso os candidatos fossem Aécio e Campos, o tucano venceria com 29,7% dos votos, contra 16,4% do pernambucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.