Após prorrogação, governo deve negociar corte na CPMF

A redução da alíquota da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) por meio de um projeto de lei ou medida provisória é a proposta mais avançada nas negociações entre governo e oposição para prorrogar o tributo até 2011, segundo informou um ministro. O governo sinalizou que, após a aprovação no Senado da emenda constitucional que prorroga a vigência da CPMF, começará a negociar um porcentual de redução da alíquota, hoje em 0,38%. Amanhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva retoma a discussão sobre a CPMF em reunião com os ministros Guido Mantega (Fazenda) e Dilma Rousseff (Casa Civil).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.