Após lançar críticas ao PT, Jobim diz que não falou nada demais

Ministro havia criticado o partido, que em 2000 foi contra a Lei de Responsabilidade Fiscal

Célia Froufe e Renata Veríssimo / BRASÍLIA, Agência Estado

04 Maio 2010 | 12h32

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, negou que tivesse colocado o PT em saia justa ao criticar o comportamento do Partido dos Trabalhadores (PT) durante o período de aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em 2000. "Não falei nada demais. Só disse a verdade", afirmou à Agência Estado ao sair do Seminário "10 anos de Lei de Responsabilidade Fiscal: Histórico e Desafios", organizado pelo Instituto Brasileiro de Direito Público (IDP) e pela área de projetos da Fundação Getúlio Vargas (FGV Projetos), em Brasília.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Jobim critica PT, que foi contra Lei de Responsabilidade Fiscal em 2000

 

Durante sua exposição, no evento, Jobim afirmou que o PT foi contrário ao conteúdo do texto da LRF enviado ao Congresso. Além disso, citou nominalmente a ação contrária de um dos integrantes do partido, o depois ministro da Fazenda, Antonio Palocci.

 

Ao sair do seminário, o ministro da Defesa encontrou-se com Palocci e conversou com ele rapidamente. Jobim relatou à Agência Estado que informou Palocci sobre o teor de seu discurso e que o havia citado. "Palocci me respondeu que não havia problemas, porque ele mesmo já pediu desculpas pelo fato, há mais ou menos cinco anos."

Mais conteúdo sobre:
Nelson Jobim LRF PT FGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.