Após jogar para Alckmin, Serra dá força a Kassab

Evento do governador para anunciar crédito bilionário ao metrô entrou na última hora na agenda do prefeito

Roberto Almeida e Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2008 | 00h00

Um dia depois de atuação decisiva para a escolha do ex-governador Geraldo Alckmin como candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, o governador José Serra (PSDB) dividiu ontem com o prefeito Gilberto Kassab (DEM) os holofotes do anúncio de um financiamento bilionário para a rede de trens do Estado e para o metrô. O evento foi na sede do governo estadual e inicialmente não constava da agenda do prefeito.Candidato à reeleição e agora adversário de Alckmin, Kassab posou para fotos ao lado de Serra, discursou durante a cerimônia e ressaltou a importância do empréstimo para a melhoria do transporte público. A prefeitura, no entanto, não teve nenhuma participação na parceria nem nos investimentos divulgados.Do US$ 1,74 bilhão a ser aplicado na aquisição de 57 composições e em obras de modernização da rede de trens e do metrô, US$ 1,275 bilhão virá do banco japonês JBIC e os demais US$ 465 milhões serão a contrapartida do governo estadual. Dos cofres da administração municipal não sairá nenhum centavo.Serra tentou minimizar o episódio, que pode até trazer problemas com a Justiça Eleitoral para Kassab, alegando que ele estava ali porque o assunto envolvia a cidade. "O prefeito é convidado automaticamente a qualquer ato envolvendo a cidade de São Paulo", alegou Serra. "Foi um encontro normal de trabalho administrativo porque o Estado e o município têm muitas parcerias e vamos continuar trabalhando."Ao discursar, Kassab exaltou a prioridade para transporte público por parte do governo estadual. "É fruto de determinação política e uso adequado do dinheiro para solucionar problemas", declarou. Ao fim da solenidade, Kassab saiu rapidamente, sem falar sobre eleição.Uma das bandeiras do prefeito na área do transporte - tema que promete ser a vedete dos debates entre os candidatos nesta eleição - é justamente a participação da prefeitura em investimentos no metrô. Ele tem repetido que é o primeiro prefeito depois de muitos anos a destinar dinheiro à ampliação da rede metroviária.Serra fez questão de ressaltar o feito durante o evento. "A prefeitura agora é sócia da expansão do metrô, desde 1970 não investia", disse. "Foi realmente uma promessa minha de que a prefeitura entraria no metrô, e eu lembrei isso."À noite, o governo municipal divulgou nota reconhecendo que o financiamento anunciado era uma parceria apenas entre o Estado e o banco japonês e destacou que a prefeitura investe recursos em outra obra do metrô. "Em 2008, Kassab já liberou R$ 200 milhões para as obras de expansão da linha 5 e outros R$ 75 milhões destinados à elaboração do projeto executivo da nova linha 6", diz a nota. A promessa do prefeito é aplicar R$ 1 bilhão de recursos municipais na expansão do metrô.ÚLTIMA HORAO evento com Serra entrou na última hora na programação do prefeito. Na agenda divulgada no domingo não constava esse compromisso - a presença de Kassab foi confirmada apenas duas horas antes do anúncio.Pela manhã, o prefeito esteve acompanhado de outro tucano durante uma vistoria de obras na zona leste da cidade, o secretário de Infra-Estrutura Urbana e Obras, Marcelo Branco.Apesar da confirmação de Alckmin na sucessão municipal, nenhum secretário tucano deixará a administração municipal. Kassab voltou a dizer ontem que sente gratidão pelos líderes tucanos que brigaram no PSDB por uma coligação com o DEM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.