Após instalação de CPI das ONGs, PT consegue emplacar relator

Oposição quer tentar pegar supostas irregularidades da líder do PT, Ideli Salvatti,que nega relação com ONGS

ANA PAULA SCINOCCA, Agencia Estado

10 de outubro de 2007 | 20h30

O PT emplacou nesta quarta-feira, 10, um aliado na relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das ONGs. Na mesma sessão que confirmou o nome do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) como relator do caso, foi escolhida, por acordo, a senadora tucana Lúcia Vânia (GO) para a vice-presidência da comissão, que será presidida por Raimundo Colombo (DEM-SC). Ainda nesta quarta, relator e presidente da CPI decidiram solicitar ao Tribunal de Contas da União (TCU) o fornecimento de servidores e também apoio técnico da Controladoria Geral da União (CGU). Arruda e Colombo também acertam visita ao procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e ao ministro da Justiça, Tarso Genro. "Vamos precisar do esforço do TCU, que sempre colabora, e dos demais órgãos. Também vamos solicitar a todos os ministérios que nos enviem informações relacionadas à repasse de verbas para Organizações Não-Governamentais", disse Arruda.Com a presença de apenas sete senadores - são 11 titulares de sete suplentes - a CPI das ONGs deverá começar efetivamente seus trabalhos na próxima semana. O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) apresentou uma série de requerimentos nos quais solicita informações sobre ONGs de vários ministérios do governo. Os requerimentos serão colocados a voto na semana que vem. A CPI pretende investigar as ONGs que receberam recursos do governo de 2002 a 2006. A oposição promete tentar alongar o prazo de apuração para 2007, na tentativa de pegar supostas irregularidades da líder do PT, Ideli Salvatti. Ela nega qualquer relação com as ONGs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.