Após indicação, José Antonio Toffoli vai à missa de antecessor

Data da posse de novo ministro do STF ainda não foi marcada, mas expectativa é de que ocorra em 15 ou 30 dias

Mariângela Gallucci, da Agência Estado,

01 Outubro 2009 | 18h31

Um dia após o Senado aprovar sua indicação para o Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro José Antonio Dias Toffoli teve o seu primeiro compromisso público na Corte. Junto com a filha, Pietra, e um de seus irmãos, José Eduardo, ele participou de uma missa em memória do ministro Carlos Alberto Menezes Direito, que morreu há um mês vítima de um câncer no pâncreas.

 

Nessa primeira aparição no Supremo após a sabatina no Senado, Toffoli optou pela discrição na missa em homenagem ao ministro que ele sucederá. Católico, assistiu atentamente à missa e comungou.

 

Procurado por jornalistas, o novo ministro não quis dar entrevistas. A data da posse de Toffoli como ministro do STF ainda não foi marcada, mas a expectativa é de que ocorra daqui a 15 ou 30 dias.

 

Experiência

 

O novo ministro do STF enfrentou resistências à sua ida para o tribunal. De acordo com os críticos, ele não teria a experiência necessária para atuar no Supremo. Além do fato de ter apenas 41 anos, Toffoli foi reprovado duas vezes no concurso para juiz e não tem mestrado nem doutorado. Até setembro, quando foi indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o STF, ele desempenhava a função de advogado-geral da União.

 

Perguntado pela imprensa sobre o fato de Toffoli ser um dos mais novos juristas a assumir uma cadeira na Suprema Corte, o ministro Marco Aurélio Mello disse: "Ele tem uma vida pela frente. Nós só aguardamos que ele construa o currículo como julgador."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.