Após fraudes, senadores pedem fim da Comissão de Orçamento

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) abriu um debate no plenário da Casa sobre as denúncias de desvios de dinheiro do Orçamento por uma quadrilha formada por assessores parlamentares, empresários e prefeitos que superfaturavam venda de ambulâncias e pediu a extinção da Comissão Mista de Orçamento por causa do escândalo. Em discurso da tribuna, ACM voltou a defender o ponto de vista de que o Orçamento precisa passar a ser impositivo. Os senadores, como o líder da Minoria, Álvaro Dias (PSDB-PR), e Sérgio Guerra (PSDB-PE), também defenderam a extinção da comissão e o líder do PFL, José Agripino (RN), apoiou a proposta de se transformar o Orçamento em peça impositiva. "O Congresso a cada dia se desmoraliza mais. São casos vergonhosos que maculam a imagem do Congresso", afirmou Antonio Carlos Magalhães. Ao pedir providências aos presidentes do Senado, senador Renan Calheiros, e da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), Magalhães chegou a pedir o fechamento do Senado, mas, no mesmo instante, voltou atrás: "Se não adotarmos medidas, melhor que a Casa (Senado) estivesse fechada, mas é melhor que esteja aberta, senão caminha para uma ditadura, se nós não encontrarmos o caminho certo." Ele disse também que, se a Comissão Mista de Orçamento não for extinta, outra providência seria a de não se permitir que ela seja integrada sempre pelos mesmos parlamentares. "São sempre os mesmos. Esses que estão aí não têm mais condição de pertencer à Comissão de Orçamento", afirmou. "As mudanças têm que ser feitas com muita disposição para enfrentar aqueles que usam o Orçamento e fazem do Congresso uma casa de ladroagem", declarou. Ele fez críticas a Aldo Rebelo, afirmando que este não é o mesmo da época em que o visitou e ficou "encantado" com o deputado, quando este desempenhava a função de ministro da Coordenação Política do governo no Legislativo. "Era outro homem. Ele tem que se adaptar aos novos tempos." O senador Renan Calheiros informou que conversou nesta segunda-feira com Aldo Rebelo sobre a possibilidade de mudanças na comissão para tornar mais transparente o processo de definição do Orçamento. Renan disse entender que "este é o momento para se discutir o assunto e promover mudanças".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.