Após fracasso, governo prepara nova ação para jovem

Programa Praça da Juventude prevê complexos esportivos na periferia

Marcelo de Moraes, O Estadao de S.Paulo

23 de dezembro de 2008 | 00h00

Depois do fracasso do programa Primeiro Emprego, o governo federal fará uma nova tentativa para atender os jovens de baixa renda da periferia e evitar seu envolvimento com o crime organizado. A idéia agora é apostar no Praça da Juventude, programa conduzido pelo Ministério do Esporte. Serão instalados minicomplexos esportivos em áreas metropolitanas consideradas críticas em termos de violência.Cada unidade do Praça da Juventude custará cerca de R$ 1,5 milhão e terá ginásio poliesportivo, rampa de skate, pista para caminhadas, entre outros atrativos, num espaço de 8 mil metros quadrados. A previsão é inaugurar 19 unidades no início de 2009 - falta apenas a definição exata dos locais.VISIBILIDADEJá existe a decisão política do governo federal de inaugurar as primeiras cinco praças no Rio de Janeiro, Estado onde é grande o envolvimento de jovens com o crime organizado.Dois desses locais já estão definidos: Complexo do Alemão e Cidade de Deus. Essa opção representa também um movimento político do governo federal. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), é hoje um dos principais aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tem como principal cobrança da opinião pública o combate à violência local. Assim, o lançamento do programa no Rio daria ao governador visibilidade política no enfrentamento desse problema. De quebra, traria para o governo federal uma agenda positiva unindo segurança pública e juventude - dois temas que sempre suscitam cobranças da sociedade, segundo avaliações internas feitas por assessores da Presidência.O programa prevê a instalação das praças em outras periferias de capitais brasileiras, como São Paulo. O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse ontem em Brasília que conversou com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), nesta semana para discutir o local."Ele me disse que vai verificar onde é possível fazer a instalação porque, apesar de 8 mil metros quadrados não ser uma área muito grande, o desordenamento urbano das periferias é tão grande que nem sempre é fácil encontrar áreas disponíveis desse porte para uma utilização desse tipo", afirma Orlando Silva.O ministro diz sonhar com a criação de até mil Praças da Juventude até o fim do mandato do presidente Lula, em 2010. O programa Primeiro Emprego, uma das principais propostas da campanha presidencial de Lula para a juventude, não obteve resultados e foi posto de lado pelo governo federal. O projeto oferecia vantagens a empresas que dessem empregos a jovens entre 16 e 24 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.